sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Intolerância à frustração

Gostaria muito de saber como foi a criação dada pelos pais a este ser humano responsável por tão grave atentado à dignidade e à vida desta professora. Como terão sido os exemplos relacionados à boa resolução de conflitos, à necessidade do respeito às autoridades e aos mais velhos, aos limites que a vida em sociedade nos exige, e ao assumir as responsabilidades pelo que pensamos e fazemos? Tal qual este aluno, há uma geração de pessoas intolerantes à frustração, que não admitem receber um não, pois não o receberam quando crianças, fruto de uma criação permissiva, onde pais ausentes tentavam compensar suas incompetências e culpas na educação com presentes e realizações de todos os desejos dos filhos. Ao crescerem eles exigem do mundo o que os pais faziam para eles.

Gilvan Almeida

Aluno quebra os braços e 6 dentes de professora no Rio Grande do Sul
Agência Estado
12/11/2010

Uma professora de uma escola técnica em Porto Alegre (RS) teve os dois braços e seis dentes quebrados após ser espancada por um aluno do curso de enfermagem que ficou revoltado por ter tirado uma nota baixa. O caso ocorreu na última terça-feira.
Após tomar conhecimento de sua nota, o rapaz utilizou uma cadeira de ferro para agredir a professora, de 57 anos. Os braços dela foram atingidos no momento em que tentou se defender. Mesmo depois de ela ter desmaiado, o estudante, que é instrutor de artes marciais, desferiu socos e chutes, quebrando os dentes da professora. Ao perceber a chegada de duas professoras, o aluno decidiu fugir.
O delegado Fernando Soares, que investiga o caso, disse que um segurança e o porteiro do prédio ainda tentaram deter o agressor mas não conseguiram. O estudante, de 25 anos, ainda não foi localizado pela polícia.

2 comentários:

Isaac Melo disse...

Meu amigo Gilvan,
creio que esse fato causou indignação a todos. Aliás, casos semelhantes a esses ocorrem quase todos os dias pelo Brasil afora. Isso é apenas uma pequena amostra de nossa crise de valores, que vem desde a família, e vai passando por escola, religião, sociedade...

Um forte abraço!

Faide disse...

Oi Gilvan?

Essa permissividade na educação dos filhos está totalmente sem controle, essa falta de compromisso e comodismo dos pais em relação à educação dos filhos é gritante e a vemos entre nossos familiares,amigos e por aí...abusivamente
Pais ou educadores que insistem em "esquecer" que a forma de educar influencia decisivamante na vida do indivíduo,ensinando o mesmo a entender e desenvolver os valores relacionados com as necessidades do seu mundo,caminhar sozinho,ser justo, tolerante e equilibrado.
Educar não é um processo fácil, mas,como cita Wilhelm Reich , é fundamental para que se possa chegar a felicidade humana.
E que seja feito com respeito e coerência.

bjaum
Faide ;)