segunda-feira, 2 de junho de 2008

Filósofos que admiro: Confúcio


Sábio filósofo chinês, Confúcio (Kung-fu-tzu), o sapientíssimo, o sábio dos sábios, nasceu na 11ª lua do 21º ano de Ling-uang (551 A.C.). Conta-se que fatos prodigiosos revestiram o seu nascimento. Uma antiga lenda chinesa diz o seguinte: “Uma tarde, quando Yen Chen Tsai passeava nos jardins da mansão de seu marido, viu surgir, de repente, diante dela, uma grande nuvem azulada. E, desta nuvem, saiu uma radiosa entidade espiritual. Seu corpo diáfano parecia ungido de aromas delicados e cintilava ao calor de pedrarias raras. Estupefata, Yen Chen Tsai ouviu-a dizer:
“- Breve terás um filho que será um grande sábio! Tu deverás dar-lhe à luz na Gruta das Amoreiras, perto do Templo da Paz Celeste!
“E assim dizendo o ser etéreo desapareceu como num sonho. Yen Chen Tsai ficou maravilhada e contou ao marido as palavras da estranha aparição. E ambos concordaram em seguir as instruções divinas. Quando chegou a época propícia, ela foi para a Gruta das Amoreiras, e lá nasceu Confúcio. Assim que a criança veio ao mundo, cinco velhos veneráveis, vestindo trajes de seda cintilante, apareceram na gruta. Eram os espíritos dos Cinco Planetas que vinham trazer a sua benção. Com eles veio também um estranho animal. Tinha o corpo igual ao de um touro, mas era recoberto de escamas de dragão. A cabeça parecia a de uma corça e tinha no meio da testa um grande chifre recurvo. Tratava-se do lendário Unicórnio, o sagrado “lin”, que só aparece para anunciar o nascimento dos sábios neste mundo. Com extrema delicadeza, os Cinco Espíritos Planetários levaram docemente a mãe e o filho pelos ares e depositaram-nos em seus aposentos na casa de Shu Liang Ho. E após abençoar aquela família feliz, desapareceram no ar, tão misteriosamente como haviam vindo.”

Sabedoria de Confúcio:

- Refletindo sobre nossa natureza com seus discípulos, Confúcio afirmou que alcança humanidade aquele que pratica:
Cortesia – e com ela repele os insultos;
Tolerância – e com ela conquista todos os corações;
Boa-fé – e com ela inspira a confiança dos outros;
Diligência – e com ela garante o sucesso, e a
Generosidade – e com ela angaria autoridade sobre os outros.
Ainda hoje temos diante de nós esse grande desafio, cinco práticas capazes de mudar nosso destino.
- “A educação do homem deve começar pela poesia, ser fortificada pela conduta justa e consumar-se na música.”
- "Aos quinze anos orientei o meu coração para aprender. Aos trinta, plantei meus pés firmemente no chão. Aos quarenta, não mais sofria de perplexidade. Aos cinqüenta, sabia quais eram os preceitos do céu. Aos sessenta, eu os ouvia com ouvido dócil. Aos setenta, eu podia seguir as indicações do meu próprio coração, pois o que eu desejava não mais excedia as fronteiras da Justiça".
- "Quando conhecer um homem bom, trate de imitá-lo; quando conhecer um homem mau, faça uma auto-análise."
- “Tenha cuidado com tuas palavras e teus atos”.
- “Sabedoria, compaixão e coragem são as três qualidades superiores do homem superior.”
- “A verdadeira riqueza de um homem se resume naquilo que ele faz pelos outros.”
- “A sabedoria e o sucesso nunca poderão ser alcançados sem esforço, mas resulta de pequenas coisas.”

Conheça mais sobre Confúcio:
-Livro: A essência da sabedoria de Confúcio.
Autor: Charles J. Finger
Editora: Ediouro

Um comentário:

Faide Veiga disse...

"A natureza dos homens é a mesma,são os seus hábitos que os mantém separados".Como pregava Confúcio,uma sociedade culturalmente instruída e disposta ao bem estar comum,seguindo os princípios do altruísmo,sabedoria moral,integridade,fidelidade e honradez,tornaria o comportamento dos homens muito mais digno.Um abraço.Faide.