domingo, 27 de fevereiro de 2011

Homeopata segundo Hahnemann

Acredito na perfeição, no ideal de perfeição, como aspiração máxima que o ser humano deve buscar ao longo da vida, seja em seu íntimo, conhecendo-se, lutando contra si mesmo em tendências, negatividades e impulsos, superando limitações, amadurecendo, evoluindo, transformando defeitos em virtudes, como também lapidando suas relações familiares, interpessoais e profissionais.
Não conheço um ser humano perfeito. Embora alguns queiram ser melhor que os outros, considero que somos todos iguais, sujeitos a erros e acertos, frágeis perante nossas próprias falhas e imaturidades.
Depois de muita peia da vida, hoje venho reconhecendo que preciso de Mestres, de quem me dê orientações, ensinamentos, correções, um norte nos momentos de dúvidas e incertezas, um amparo na dor e na solidão.
Na Medicina tenho alguns Mestres que vêm me dando a fundamentação técnica e filosófica para uma prática de acordo com o que idealizo deva ser um bom médico. Sei que o trabalho para ser um verdadeiro discípulo deles exige estudo constante, pelo reconhecimento de que quase nada sei e tenho muito a aprender. Percebo bem isso, quando leio este trecho de uma carta do Dr. Samuel Hahnemann (1755-1843), médico alemão que criou a Homeopatia, em que ele descreve como deve ser um médico homeopata.


Gilvan Almeida


“Busque um homem sensível, íntegro, que seja consciente do que estudou e do que sabe, que responda com clareza e precisão a todas questões que lhe competem; que não saia nunca do assunto e não fale se não é questionado; enfim, um homem que não permaneça alheio ao que lhe concerne, em especial a humanidade.
Escolha preferencialmente um médico que nunca seja grosseiro, que nunca se irrite a não ser perante uma injustiça; que não deprecie a ninguém, a não ser aos aduladores; que tenha poucos amigos mas todos eles de bom coração; que dê aos que sofrem a liberdade de queixar-se; que jamais expresse uma opinião antes de haver meditado bem; que prescreva poucos medicamentos, a maioria das vezes um único, e em substância; que se mantenha modestamente à margem, longe das multidões; que não silencie o mérito dos colegas e não elogie a si mesmo; e, por último, que seja um amigo da ordem e da tranqüilidade e um homem que ame a seus semelhantes e seja caridoso.
Uma coisa mais: antes de decidir, observe como se comporta com os enfermos pobres e se em seu gabinete, quando está só, se ocupa de trabalhos sérios".

Orientação do Dr. Samuel Hahnemann em carta a um príncipe europeu sobre como proceder para escolher um médico homeopata.

4 comentários:

Nostradamus disse...

Feliz expressões de pensamentos. Sempre é bom fazermos essas reflexões.

Silmara de Cássia disse...

Gilvan,

Vejo que seu mestre tem princípios sublimes (e arro(x)chados) e, como sua paciente, acho que você é um bom discípulo.

"Se não desenvolvermos em nós o profundo sentimento de que existe algo superior ao que somos, não acharemos forças para atingirmos um grau mais elevado." - Rudolf Steiner

Grande abraço, Silmara.

Francimar disse...

Gilvan,
conheço esse texto e desde a primeira vez que li, vi que ele expressa exatamente aquilo que eu sinto. Na minha profissão embora não seja médica venho trabalhando também com este propósito humanista, vendo o ser humano como prioridade e exercendo um pouco mais de amor, paciência dentre outras virtudes que ainda são bem pequenas em mim. A sociedade também precisa de profissionais assim. mas apesar de ver que a academia não estimula essa prática ainda existe uma esperança de que a medicina se humanize mais e busque o real sentido holístico. acho que dessa forma a humanidade avançará mais em busca da saúde perfeita, da cura e consequentemente de um alto grau de evolução.

Marcos Montysuma disse...

Caro Gilvan,
Nossas buscas de crescimento são constantes. A cada dia que acordo mantenho vivo este entendimento, e de responsabilidade permanente para atingir tal fim.
Você nos passa uma dimensão dessa nossa responsabilidade com tamanha leveza, retirando o teor de fardo pesado, para mostrar que podemos realizar um caminhar leve e feliz.
Com esta dimensão realizo minha vida.