domingo, 20 de maio de 2012

Grandes filósofos: René Descartes

Em sua obra O discurso do método (1637), o filósofo e matemático francês René Descartes (1596-1650) expõe o primeiro princípio da filosofia que procurava: “Penso, logo existo” ou ainda "Eu duvido, logo penso, logo existo".

“...Descartes pretendia fundamentar o conhecimento humano em bases sólidas e seguras (em comparação com as fundamentações do conhecimento medievais, cujas bases não eram claras e distintas). Para tanto, questionou e colocou em dúvida todo o conhecimento aceite como correto e verdadeiro (utilizando-se assim do ceticismo como método, sem, no entanto, assumir uma posição cética). Ao pôr em dúvida todo o conhecimento que, então, julgava ter, concluiu que apenas poderia ter certeza que duvidava. Se duvidava, necessariamente então também pensava, e se pensava necessariamente existia (sinteticamente: se duvido, penso; se penso, logo existo). Por meio de um complexo raciocínio baseado em premissas e conclusões logicamente necessárias, Descartes então concluiu que podia ter certeza de que existia porque pensava...” – Wikipédia

Concordo com esta síntese genial e revolucionária para a filosofia ocidental, mas ouso ir adiante, pois hoje tenho como parâmetro fundamental para a comprensão da vida, o exame e a avaliação dos sentimentos. Como estão meus sentimentos, assim está a minha vida, a minha existência. Portanto posso também concluir que é verdadeiro pensar: “sinto, logo existo.”
E assim vive o ser humano, como tão bem demonstra a ilustração do blog, em uma gangorra, sendo dominado pelo sentimento (coração) e pelo pensamento (cérebro). Hora um predomina, hora outro, exigindo-nos um trabalho constante de equilíbrio, para encontrar a harmonia e a paz interiores.
Para quem se interessar e quiser conhecer mais a vida e o pensamento de Descartes, além de seus livros, há o excelente filme Descartes, do diretor italiano Roberto Rosselinni, que fez uma série Grandes filósofos para uma TV italiana.
Registrei estas palavras do filme:
-“...O que fizermos aqui será um dulcíssimo mistério...” – Theóphile de La Viau
-“A verdade nova que surge assusta um pouco ...” - professor explica;
-“Utilizar a nova ciência e construir uma nova filosofia.”
-“Os antigos são a infância do mundo.”
-“Teoria da livre criação das verdades eternas.”
-“a ciência me impediu de viver.”
-“Eram falsas muitas das minhas certezas.”
-“A marca da humanidade em Descartes é o pensamento.”
-“Se pretendo saber do que a razão humana é capaz, preciso absolutamente me libertar de minha infância...”
-3º sonho de Descartes: “Que caminho escolherei para minha vida?”
-“...Só vencemos a natureza obedecendo-a...”

SINOPSE DO FILME: Descartes é um dos principais filmes do italiano Roberto Rossellini, que fez outros igualmente brilhantes sobre Santo Agostinho, Sócrates e Blaise Pascal. O nobre Descartes foi um menino mimado com impressionante capacidade reflexiva. Sua observação e compreensão do mundo físico são dignas de um grande gênio, o que justifica sua influência na filosofia moderna. A filosofia de Descartes, no entanto, não alcança a sabedoria contida nas obras dos grandes gregos nem nos escritos dos sábios Cristãos da Idade Média devido à sua superficialidade nos assuntos metafísicos. http://rarosdanet.blogspot.com.br/2011/02/descartes-roberto-rossellini-legendado.html   Pode ser comprado pela internet.

Algumas frases de Descartes encontradas na internet:
-Os homens que se emocionam com as paixões são capazes de ter mais doçura na vida.
-Não existem métodos fáceis para resolver problemas difíceis.
-Viver sem filosofar é o que se chama ter os olhos fechados sem nunca os haver tentado abrir.
-Não há nada no mundo que esteja melhor repartido do que a razão: toda a gente está convencida de que a tem de sobra.
-As paixões são todas boas por natureza e nós apenas temos de evitar o seu mau uso e os seus excessos.
-Daria tudo que sei pela metade do que ignoro.
-A filosofia é a que nos distingue dos selvagens e bárbaros; as nações são tanto mais civilizadas e cultas quanto melhor filosofam seus homens.

5 comentários:

Centelha Luminosa disse...

Olá, boa tarde, Gilvan!!

Que delícia de postagem, nos convidando a filosofar, hein!!

Esse pensamento da máxima cartesiana,Penso, logo existo” , levava-nos a era da razão, onde o sentimento e a emoção, eram considerados como elementos secundários, pois que significava uma etapa transitória, para outra Era...a do Sentimento?
Agora é possível não só pensar como sentir e desenvolver a nossa capacidade de discernir nossos sentimentos. Quem sabe chegue o dia em que se possa afirmar :"Sinto, logo existo", para finalmente- " Amo, Logo Existo?"

Adorei vir aqui filosofar contigo!!
Feliz semana !

Beijos da Lu...

Luciana Souza disse...

Oi Gilvan
Nossa, viajei nesse post sobre Descartes, eu conhecia essa frase tão famosa e não sabia que era dele. Muito bom, vou colocar uma frase no meu face agora. Adorei.
Bjos e uma ótima semana.
http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br

Luciana Santa Rita disse...

Oi querido amigo,

Tudo bem? Essa frase De Descartes nos permitiu a liberdade e a flexibilidade do pensamento cartesiano. Hoje conseguimos duvidar sem ter que sermos queimadas na fogueira. Parabéns pelo texto! E a sua frase do sentir e viver é real.

Boa semana!

Lu

Anônimo disse...

Tenho acompanhado seu blog, seus posts são muito bons. Abraços.

Moça disse...

Valeu pela dica. Faz tempo que to querendo ver este filme. moro no interior, aqui é dificil de achar...
alias, adoro Descartes. Me faz mta falta minhas aulas de filosofia... a gente na correria do dia a dia, faz td no automatico, esquece de refletir... Nem pensa pra fazer... Esquecemos do: PENSO LOGO EXISTO!
http://opinandoemtudo.blogspot.com/
BJO