domingo, 18 de maio de 2008

Reinício

Hoje, 18 de maio de 2008, estou reiniciando este blog, cujo antigo endereço não oferecia espaço suficiente para postar mensagens mais longas, com o objetivo de compartilhar a minha visão da realidade e trocar idéias sobre artes, medicina, esportes, política, história, atualidades, música, cinema, filosofia, literatura, tudo o que possa ampliar conhecimentos e facilitar a compreensão da vida e do mundo em que vivemos. Sinto que viver é um aprendizado constante de se ver a vida como ela é mesmo, buscando aprender com as experiências, fazer as reformas íntimas que se fazem necessárias e amadurecer sofrendo o mínimo possível. Assim, acredito que a melhor forma para que isto aconteça seja adquirir e praticar os conhecimentos, para que possamos ter a sabedoria de discernir o que é errado e o que é certo, fundamento essencial na prevenção da dor.
Sejam bem vindos!
Gilvan Almeida

A Ética nossa de cada dia
Um discípulo perguntou a Confúcio( 551-479 antes de Cristo) "Há uma só palavra que possa servir como um princípio de conduta para a vida?" Confúcio respondeu:"Talvez a palavra reciprocidade sirva. Não faça aos outros o que não quer que lhe façam." Observemos que esse grande Mestre da China Antiga, o sábio dos sábios, foi um dos primeiros a falar e a praticar esse princípio que tornou-se a lei máxima da Ética, a regra dourada, e passados 2.500 anos a humanidade continua ainda tão carente de honestidade, solidariedade, fraternidade, compreensão, tolerância, amor ao próximo. São poucos os que praticam isso, na sociedade competitiva, egoísta, consumista e injusta em que vivemos pois, para muitos, o que vale é levar vantagem, mesmo que para isso precisem colocar dedo no olho dos outros, enganar a própria mãe, pisar em quem está no caminho, fazendo valer uma das máximas do filósofo italiano Maquiavel: "os fins justificam os meios". E essa carência, e até mesmo ausência de Ética, se manifesta em níveis pessoais, institucionais e internacionais. Pessoalmente muitos acham que ser ético é ser ingênuo, bobo, compreensão que é um passo para a corrupção, e nas instituições transparece a dissimulação, conchavos e interesses escusos, onde, por exemplo, alguns que foram eleitos para zelar pelo bem público fazem falcatruas, tiram o pão da boca do pobre, usam irregular e criminosamente verbas sociais, em especial da área da saúde, para benefício próprio(a raposa tomando conta do galinheiro?). Então acontece essa crise moral que vivemos, ou melhor, que somos vítimas, em nosso país e também nas relações internacionais. Estamos vendo alguns países imperialista invadirem países em nome da liberdade e da democracia, quando na verdade o que querem é a riqueza daquele país. Então é urgente um choque de moralidade e ética, e esse trabalho precisa ser feito a começar de cada um, não dá para esperar acontecer por decreto.
Gilvan Almeida

4 comentários:

João Paulo de Almeida disse...

Gilvan, muito bom saber que você, também, tem um blog. Gostei dos textos e vou adicionar na minha lista de favoritos. Boa sorte.
Abraço grande,
João Paulo Almeida.

admmesquita@gmail.com disse...

Olá Gilvan ao visitar seu blogachei legal o que esta contido nele, gostei da cara dele !!!

Parabens e vou sempre que poder visita-lo

Abraço

Mesquita
Cruzeiro do Sul

Marcos Afonso disse...

Querido amigo |Gilvan, Filósofo do Cotidiano!

"Cabeça e Coração". Gostei do nome. Leva para um princípio que muito prezo: só obedecer a razão se o coração consentir.
Que bom você nas navegadas cibernéticas. O oceano está tumultuado, ventos bravios, noites magras de estrelas... Precisamos de fortes caravelas, mastros altivos, marinheiros com esperanças e, fundamentalmente, cartas certas, náuticas idéias.
Seu blog está lançado ao mar. Saiu do estaleiro, se prepara para as viagens que tanto precisamos. Tenho certeza que o oceano será compreendido e saberá nos respeitar. Afinal, os barcos não foram feitos para os portos.
Então, Filósofo do Cotidiano, estamos mais seguros na rota com a "Cabeça e Coração"...

Náuticos abraços de alegria,

Marcos Afonso.

Sanderson Silva de Moura disse...

Amigo Gilvan, aprecei muito o blog. Um blog de qualidade, feito por alguém que tem sempre muitas coisas boas para ensinar

A regra maior é essa, a da reciprocidade. Não só Confúcio assim estabeleceu, mas Krisna, Jesus, Buda, Lao Tzé. Esse princípio´deve ser aplicado em todas as dimensões do fazer humano, é o resumo de toda ética, vale por uma biblioteca inteira, basta compreendermos o seu significado e colocarmos em prática.