terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Passado, presente e futuro

Há diversas formas de conhecermos os seres humanos. Uma delas é ver como que cada um vive em relação ao tempo. Algumas pessoas vivem no passado: umas através do saudosismo, em que só as coisas de antigamente é que eram boas, tudo no tempo delas era melhor, que o mundo atual está perdido, pois todos os bons valores de sua época se perderam ou foram deturpados; outras vivem no passado guardando e cultivando profundas mágoas de situações vividas, remoem ressentimentos, nutrem planos de vinganças, vivendo novamente as dores a cada vez que pensam ou alguém fala sobre o que aconteceu, verdadeiras prisioneiras do ontem que não se libertam para viver o hoje. Há os que vivem no futuro, apressados, impacientes, preocupados e ansiosos com o que vai lhes acontecer, antecipam o futuro, geralmente de maneira trágica, pessimista, imaginando sempre o pior, criando situações em pensamento, como se fossem verdades e sofrendo por antecipação. Não sabem esperar o futuro chegar sob a forma de presente. Poucas pessoas vivem no presente, vivenciando a realidade atual de forma intensa e concentrada, assumindo responsabilidades, erros, culpas e aproveitando a vida, degustando os frutos das vitórias obtidas. Assim, quem vive no passado precisa de asas para voar até o presente, e quem vive no futuro precisa de âncora para permanecer no presente. Qual é o tempo em que você vive?

Gilvan Almeida

2 comentários:

Isaac Melo disse...

Salve Gilvan,

É muito pertinente a tua reflexão,
sobretudo num momento em que todos reclamam a falta de tempo ou algo semelhante.

Para acrescentar à tua reflexão, acrescento o velho Agostinho falando sobre o tempo, o eterno presente (prefiro assim):

"Que é, pois, o tempo? Quem poderá explicá-lo claro e brevemente? [...] de que modo existem aqueles dois tempos – o passado e o futuro – se o passado já não existe e o futuro ainda não veio? Quanto ao presente, se fosse sempre presente, e não passasse para o pretérito, como poderíamos afirmar que ele
existe, se a causa da sua existência é a mesma pela qual deixará de existir?"

Um fraterno abraço!

P.S. desculpe a longa citação!

Faide disse...

Oi Gilvan?
Já imaginou se todos soubessem viver seus momentos diários profundamente,à medida em que acontecem:Vivam e saibam que estão vivendo? Acredito que
viver o presente é para pessoas "corajosas",atentas,porque requer olhar para a realidade.
Quando se vive no passado se olha algo que não existe mais,se fantasia.O presente é real,o que demanda um esforço a maior parte do tempo como por exemplo,adaptação às mudanças,o que gera insegurança,medos...enfim muitos abrem mão de viver uma nova realidade que se descortina e se transforma,trazendo novos sentimentos,realizações,crescimento...um novo filme que pode ser muito melhor do que o que já visto.
Como ensina o Mestre:"Nós temos que olhar diretamente para o passado e sorrir para ele,dizendo,você não pode mais me oprimir,estou livre de você."
Não podemos nos deixar ser arrastados pelo passado,ansiarmos o futuro ou sermos tragados pelas circunstâncias do presente.
Viver no presente é muito fácil.
É só olhar à nossa volta.E ver.

bjo

Faide