sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Abandono e injustiça no cotidiano psiquiátrico

Sabemos que a corrupção não tem nacionalidade e que nosso país é um dos campeões mundiais. São tantos os escândalos políticos e financeiros que a maioria das pessoas nem liga mais. O que é um perigo, pois a banalização do mal só o alimenta. Os Governos privilegiam cada vez mais os ricos, com incentivos fiscais, anistia de dívidas, créditos lesa-pátria, ausência de pagamento de imposto de renda em transações financeiras, e taxam mais e mais os pobres e a classe média. É um Estado a serviço dos poderosos, onde os recursos jurídicos dos crimes de colarinho branco são julgados em tempo recorde, e os ladrões de galinha, fumadores de maconha e outros pequenos transgressores, quase sempre negros e pobres, passam anos presos.
É difícil conter a indignação quando encontro uma situação como esta: uma senhora idosa, psiquiátrica, que vive só, abandonada pela família, e sobrevive graças a uma aposentadoria devido à patologia mental que sofre, durante uma consulta mostrou-me uma correspondência, onde é informada que sua aposentadoria foi cancelada em 1999 mas o órgão responsável “esqueceu” de suspender o pagamento e de comunicar a ela. Mesmo assim, reconhecendo a própria falha, informam que a senhora terá um mês para repor aos cofres públicos a quantia de R$ 24.000,00. Ainda têm o acinte cruel de dizer que deram alguns descontos. O que fazer para amenizar o desespero daquela senhora? Além de não ter com quê pagar, como viverá sem a aposentadoria, já que foi abandonada pela família? Enquanto isso os fraudadores de milhões de dólares da Previdência estão em prisões confortáveis, alguns nem presos estão, e o dinheiro sumido, ou melhor depositado em paraísos fiscais.

Gilvan Almeida

2 comentários:

Faide disse...

"Aquele que não pune a maldade apoia sua ação."
(Leonardo Da Vinci)
Gilvan,
A tua indignação também é minha,sinto-me quase sufocada com tantas injustiças e barbáries que a cada dia se impõem sobre a dignidade de muitas pessoas,as quais jamais se tornarão cúmplices de atos tão baixos e desumanos.
Podemos hoje estar impotentes diante de alguns desses fatos mas no círculo da vida,toda atitude será cobrada.
Se importar,como você se importa, é uma grandiosa demonstração de amor e solidariedade ao próximo.Te admiro mais ainda por isso e deixo-te um pensamento que gosto muito, que diz:
"Não há nada que venha de fora que possa derrotar qualquer um de nós."
(Margaret Mitchell)
bjo

Ana Paula Duarte disse...

Nossa, muito bom o texto, e quão triste é a realidade do sistema psiquiátrico brasileiro. A questão do preconceito, a visão das pessoas...Enfim, um verdadeiro Carandiru social é imposto sobre os que sofrem de problemas mentais, que são considerados estorvos, semi-humanos.
É deprimente.
Um abraço Gilvan, visite o Anaconfabulando...